Banda


Val_Santos.jpg

VAL SANTOS


Val Santos é um músico e produtor bastante conhecido no meio musical de São Paulo. Músico, produtor e compositor, ele é fundador e guitarrista da banda Toyshop, gravou nos Estados Unidos e teve o single ‘Daydream’ na parada de sucessos na Europa em 2000.


Val Santos também já tocou no VIPER, primeiro como baterista, em 1988. Nos anos 1990 passou a tocar guitarra e fundou o Toyshop. Em 2007, ao lado de Felipe Machado no VIPER, Val Santos gravou ‘All My Life’, álbum que marcou a volta da banda ao heavy metal. Além de tocar guitarra, Val participou do disco como compositor de duas faixas, ‘Cross the Line’ e ‘Dreamer’. ‘All My Life’ foi lançado no Brasil, Argentina, Japão e outros países da Ásia.


Nos anos 2000 iniciou sua carreira do outro lado da mesa de som: produziu demos de muitas bandas, inclusive do Sepultur. Entre 2014 e 2015, produziu ao lado de Felipe Machado o álbum ‘FM Solo’, trabalho em que também tocou guitarra, teclados e baixo, além de fazer backing vocals e a programação da bateria eletrônica.


Guilherme_Martin.jpg

GUILHERME MARTIN


Guilherme começou a tocar bateria aos 12 anos e hoje é um músico reconhecido no cenário do rock, heavy metal e punk rock no Brasil e no exterior. A primeira vez que Guilherme entrou no estúdio foi durante as sessões de gravação da banda Megaton, uma das pioneiras no thrash metal brasileiro no início dos anos 1980, mais precisamente em 1984.

Foi convidado para entrar para o VIPER em 1989, tornando-se um dos integrantes da formação clássica da banda, e tocou em palcos por todo o Brasil na lendária turnê do álbum ‘Theatre of Fate’ em 1990/1991.


Alguns anos depois, deixou o VIPER para formar o Party Up, banda de pop-punk rock que fez parte do cast da Banguela Records, gravadora que revelou os Raimundos. O Party Up mudou de nome e virou Toyshop pouco antes de embarcar para uma carreira brilhante na Europa e Estados Unidos, tendo emplacado o single ‘Daydream’ entre o Top 10 das paradas europeias em 2000.


Em 2007, Guilherme gravou o álbum e fez parte da Luxúria, banda revelação da Sony Music  que teve vários hits nas rádios e TVs brasileiras. No ano seguinte, foi baterista no projeto de música eletrônica Sweetmad ao lado dos famosos DJs Carlo Dallanese e Fábio Castro.

Além de músico, Guilherme é Drum Tech de Iggor Cavalera em todos os projetos nos quais o baterista está envolvido nos últimos 15 anos: Sepultura, MixHell e Cavalera Conspiracy.


Em 2012, foi o responsável pela organização da volta do VIPER aos palcos com sua formação clássica, em uma turnê que teve repercussão mundial e passou por quase todos os estados do país, além de ter agendadas apresentações na Argentina, shows de abertura da turnê do Kiss no Brasil e um show histórico no Rock in Rio 2013. A turnê deu origem ao CD ‘VIPER Live in São Paulo’, lançado em maio de 2015, e ao DVD de mesmo nome, que sairá no segundo semestre.


Atualmente Guilherme finaliza as mixagens do novo álbum do Toyshop, que será lançado ainda em 2015, e toca bateria no projeto solo do seu companheiro de VIPER Felipe Machado, cujo álbum ‘FM Solo’ foi lançado em agosto.

Obrigado, Martin!


Rob_Gutierrez.jpg

ROB GUTIERREZ


O paulistano Roberto Gutierrez iniciou cedo sua trajetória na música: em 1984, aos oito anos de idade, já aprendia as primeiras notas no contrabaixo, inspirado pelos ídolos Steve Harris (Iron Maiden) e Gene Simmons (Kiss).


Em 1991, aos quatorze, fez parte da banda Misery, que estreou o palco do saudoso Dynamo Brazilie. Aluno de André “Pomba” Cagni (Vodu), já se interessava pelo trabalho de baixistas como Cliff Burton (Metallica) e Geddy Lee (Rush), influências que definiriam seu estilo. Naquele mesmo ano, iniciou seus estudos no violão e criou suas primeiras composições.


Dois anos depois, foi convidado para integrar o embrião do que viria a ser o Hollowmind, uma das bandas pioneiras do Metal Progressivo em São Paulo. Já acumulando a função de vocalista, teve sua primeira experiência em estúdio ao gravar a faixa Dangerous World para a compilação "Conexão Underground", lançada em vinil no ano de 1995.


Nos anos seguintes, a banda entraria em um hiato, e Rob se dedicaria a projetos esporádicos em outros estilos, como Blues e Soul. No entanto, suas composições não cessavam - assim como seus estudos musicais, orientados por professores como Luís Mariutti (baixo, ex-Angra), Nando Fernandes (vocal, ex-Hangar) e Leandro Caçoilo (vocal, ex-Eterna).


Em 2002 o Hollowmind se reuniu para gravar seu primeiro álbum, “Soundscape of Emotions”. Lançado em 2007, o disco foi totalmente composto por Rob. O álbum angariou críticas positivas e o reconhecimento do público: a banda foi eleita uma das principais revelações do Metal nacional e participou da seletiva para o festival Wacken Open Air, realizado anualmente na Alemanha.


Após nova pausa, o Hollowmind voltaria aos estúdios para gravar seu segundo álbum, “The Cardinal Factor”, lançado em 2014 - e também composto por Rob. O álbum, produzido por Fabio Ribeiro e Ale Souza (Remove Silence) e masterizado por Brendan Duffey, é conceitual e fala sobre a simbologia dos números. Como parte da divulgação do disco, a banda gravou vídeos para as músicas Bitter Words e The Crossing.


Atualmente, em paralelo ao Hollowmind, também toca baixo no projeto solo de seu amigo Felipe Machado (de quem Rob é fã declarado desde os primórdios do Viper).